Como trabalhar o Carnaval na Educação Infantil

Pesquisadores têm associado a origem do Carnaval com festas pagãs celebradas antigamente na passagem do Inverno para a Primavera do hemistério norte, como a Saturnália dos romanos e festival gaélico Imbolg ou Oilmec. A maioria dos estudos, porém, aponta para a origem católica da festividade, que surge como prelúdio da Quaresma.


As Diretrizes e Bases da Educação instituída pela Lei Federal nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996 estabelecem a secularidade do ensino em instituições públicas e privadas (art. 7º-A). Com isso, a abordagem do Carnaval necessariamente se insere na Competência 3 das Base Nacional Comum Curricular (BNCC): repertório cultural.



Repertório Cultural na BNCC e Carnaval


A BNCC prescreve que o currículo e a prática da Educação Básica deve incluir, necessariamente, o repertório cultural, que a competência de valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, seja no plano local, seja no plano regional, nacional e internacional.

Até o fim do Ensino Fundamental, os alunos precisam concluir o ciclo de desenvolvimento de habilidades de:


1. fruição: a capacidade de vivenciar a própria identidade, a comunidade e a cultura e experienciar o sentimento de pertencimento às diversas esferas de sua realidade social, mediante manifestações artísticas, comunicacionais e culturais.



2. Expressão: a aptidão de expressar artisticamente sentimentos, ideias, histórias e experiências, bem como de documentar, compartilhar e analisar obras criativas.


3. Investigação e identidade cultural: a potencialidade de reconhecer e discutir o significado de eventos e manifestações culturais e da influência da cultura na formação de grupos e identidades.


4. Consciência multicultural: o talento de exprimir senso de identidade individual e cultural e de demonstrar curiosidade, compreensão e respeito com diferentes culturas e visões de mundo.


5. Respeito à diversidade cultural: o atributo de experimentar diferentes vivências culturais e compreender a importância de valorizar identidades, tradições, manifestações, trocas e colaborações culturais diversas.


6. Mediação da diversidade cultural: maturidade para reconhecer os desafios e benefícios de se viver e trabalhar em sociedades culturalmente diversas e explorar novas formas de reconciliar valores e perspectivas culturais diferentes ao abordar desafios em comum.


Crianças fantasiadas para participar de tradicional baile de Carnaval na periferia do Rio de Janeiro

Na Educação Infantil, o Carnaval é uma rica oportunidade para trabalhar com os pequenos o repertório cultural. Você pode mostrar, de um lado, a dimensão transcultural e transgeracional da festividade. De outro, acentuar suas manifestações no plano local, regional e nacional.


A adequada abordagem do Carnaval nos estágios iniciais da Educação de gente pequena exige muito diálogos com os pais, para que se respeitem as diversas posições no espectro de religiosidade das famílias. Corretamente enfocado, o Carnaval não favorece proselitismo, discriminação ou negação religiosos.


Por fim, aproveite para navegar nas mídias sociais da Rede Pedagógica e conhecer propostas de atividades alusivas ao Carnaval selecionadas por nossa equipe de especialistas (www.facebook.com/pedagogicarede e www.instagram.com/redepedagogica).


Edvaldo Fernandes da Silva

Pós-Doutorando em Ciência Política, Doutor em Sociologia, Mestre em Ciência Política, jornalista, advogado, professor de Educação Básica (1991-1996), professor universitário e cofundador da Rede Pedagógica.

1,036 visualizações
Icon_faça-parte-3.png
Sem título-9.png
Icon_EAD-3.png
Icon_Idiomas-3.png
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter

(31) 3913-9939

(31) 9300-6486

whatsapp.png

©2020 by Rede Pedagógica.